terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Os personagens invisíveis do carnaval de Jorge Amado

Texto publicado no site F5 Jequié http://www.f5jequie.com.br/colunas/70-os-personagens-invisiveis-do-carnaval-de-jorge-amado.html

Para Lucas Correia, meu Balduíno


Este ano, o carnaval da Bahia tem como tema O país do carnaval, pois irá homenagear o centenário do escritor baiano Jorge Amado, autor de obras como Gabriela cravo e canela, Tieta do Agreste, Capitães da areia, Jubiabá, Cacau, Quincas Berro D’água dentre outras.
Em seus livros, Jorge Amado mostrou ao mundo a diversidade que compõe a Bahia e descreveu nossos vagabundos e excluídos dando a eles uma grande visibilidade. Em Capitães da areia e Jubiabá notamos a presença desses personagens nos becos, vielas, botecos e vários outros lugares da grande cidade misteriosa.
Seus personagens esfarrapados e esfomeados representam grande parte da população da cidade de Salvador. E são eles que a conhecem como a palma das suas mãos e buscam a cada dia a sobrevivência em meio às desigualdades.  
Mas, diferente das obras amadianas, a telinha da TV mostra o carnaval de gente rica usando seu caro abadá e cantando “Sou camaleão sou o seu amor...”. Enquanto isso, os personagens de Jorge catam latinha, vendem cerveja bem gelada, seguram a corda do bloco sem saber quando receberão o mísero pagamento e pulam na pipoca. Suas aparências e seus trajes não ajudam a grande mídia e a cor da pele atrapalha muitas vezes, por isso, eles não são filmados. São meninos de rua, alcoólatras, prostitutas, sindicalistas e todo tipo de desfavorecido. Destas pessoas, só interessa mesmo a mão de obra barata que em nada compromete o lucro arrecadado na festa pelos empresários. O carnaval na Bahia garante lucro para dono de bloco e curtição para quem tem dinheiro.
Meu desejo é vê gente como Pedro Bala, Sem Pernas, Balduíno e Quincas usufruir desta festa, como um direito. Mas, pelo jeito, isto está bem difícil de acontecer porque o país é do capital e o carnaval não é para qualquer um.

11 comentários:

  1. Me lembra o filme 'o paí o' que mostra a realidade do carnaval baiano: os personagens da periferia de Salvador não tiveram a oportunidade de curtir o carnaval da cidade. Me lembra a citação de uma pessoa no Facebook: "Atras do trio elétrico só vai rico e europeu". Carnaval do apartheid, me lembra a escravidão, um tipo de prostituição da cidade, que recebe uma mixaria em troca da exploração do seu espaço.

    ResponderExcluir
  2. É verdade Fania, bela ligação. E ainda te digo, o carnaval é somente uma parte do apartheid que vivemos no Brasil e ainda tem gente que tenta negar isso o tempo todo.

    ResponderExcluir
  3. Marcio Santtos

    Excelente texto Gal, evidencia de uma maneira bastante clara como é realmente o carnaval, ou seja, existe uma verdadeira alienação nessa festança, e a própria mídia contribui pra isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pela participação Marcio. Abraço!

      Excluir
  4. Amiga, qdo eu crescer quero ser como vc!!! Lindo texto gata!!! Bela e apurada análise!! Beijos!!!

    ResponderExcluir
  5. Tu sabe que essas reflexões são frutos de conversas com amigos como vc. Lembra dos nossos papos analisando a sociedade e vc falando em seu professor Manoel?

    ResponderExcluir
  6. "Todo bloco de corda tem um pouco de navio negreiro, todo camarote tem um quê de senzala" Frase do Face...que retrata a realidade do "carnaval capital" da capital baiana, sonho com o dia em que os personagens invisíveis de Jorge possam usufruir em igualdade de direito do seu espaço, que é invadido por uma elite branca deixando a nossa terra sem cor e sem sua baianidade nagô.

    Lua Rodrigues.

    ResponderExcluir
  7. Mascára é um troço que o cara tira no carnaval...(JOAÕ BOSCO) e coloca a sua verdadeira identidade, lindo texto.

    ResponderExcluir
  8. É verdade Lua, lembro tmb da música de Natirutz que diz: "quem inentou o som do agogõ não participar do famoso carnaval de Salvador".
    Mãe, obrigada pelo comentário, "máscara é um troço que o cara tira no carnaval, interessante!

    ResponderExcluir
  9. Regaçô!!!!

    Luciano Medina

    ResponderExcluir
  10. Ô Lu, obrigada pela visita. bjão

    ResponderExcluir